MORDIDAS: Situações que demandam atenção e cuidado

As creches e CEIs se deparam com situações que deixam os pais preocupados. Uma reclamação constante e, geralmente de muitos pais, é a ocorrência das mordidas em seus filhos. Eles pedem esclarecimentos em relação às atitudes que a escola costuma tomar frente a tais situações.

Tema para ser refletido com a equipe e com as famílias

As creches e CEIs se deparam com situações que deixam os pais preocupados. Uma reclamação constante e, geralmente de muitos pais, é a ocorrência das mordidas em seus filhos. Eles pedem esclarecimentos em relação às atitudes que a escola costuma tomar frente a tais situações.
Existem vários motivos para que uma criança, na primeira infância, morda. E as mordidas nessa etapa de vida são esperadas e absolutamente normais. Continue lendo “MORDIDAS: Situações que demandam atenção e cuidado”

Cultura da Festa Junina numa experiência de cores

A origem da Festa Junina está ligada ao período da colheita dos alimentos nos campos de cultivo de todo o mundo. Neste post vamos abordar um pouco das origens desse festejo especial para a cultura infantil, e sugerir uma atividade cheia de cores para contribuir com a decoração do evento.

Atividade arco íris festa junina

A origem da Festa Junina está ligada ao período da colheita dos alimentos nos campos de cultivo de todo o mundo. O solstício de inverno, ou o dia com a noite mais longa dos países do hemisfério Sul, determinou uma festa noturna e ao redor das fogueiras por conta do frio e do cozimento dos alimentos colhidos. Continue lendo “Cultura da Festa Junina numa experiência de cores”

Crianças e professores: vamos construir relações?

Outro dia recebemos o pedido de socorro de uma professora de crianças de 2 anos que, segundo ela “nada atrai o grupo que briga e se bate”. Vamos pensar sobre o VÍNCULO na Educação Infantil?

Vínculo na Educação Infantil

Outro dia recebemos o pedido de socorro de uma professora de crianças de 2 anos que, segundo ela nada atrai o grupo que briga e se bate.

vinculo

Bom, vamos começar do começo!

Começo do ano, começo do trabalho em grupo, começo da construção do conhecimento… Período em que o educador necessita concentrar suas energias para dois focos essenciais de seu trabalho: Continue lendo “Crianças e professores: vamos construir relações?”

Verônica fala da Rotina na Educação Infantil

Verônica Souza, coordenadora da Creche Girassol, São Paulo, fala sobre o novo olhar de sua equipe para a Rotina na Educação Infantil.

Veronica Creche GirassolVerônica: Sabemos que você e sua equipe passaram por um processo de formação que transformou o olhar para a ROTINA. Diga-nos um dos maiores aprendizados? 

O que ficou foi um novo olhar sobre as atividades. Principalmente quando ficava focado nas atividades planejadas para o dia.
A formação nos mostrou que não.
Que estávamos todos os dias, a todo o momento em atividade.
Não conseguíamos enxergar isto.
A gente achava que a hora da atividade era só aquela do planejamento, com este nome, com este conteúdo.

Balão Para Saber MaisPara saber mais sobre Rotina, acesse : Como fazer da rotina um recurso valioso de aprendizagem.

 

barrinha colorida fininha

Verônica Souza

Coordenadora Pedagógica da Creche Girassol no Jardim Colombo, São Paulo

Que tal pensar em propostas flexíveis?

Pergunte para um pai se seu filho é igual a outra criança! Prontamente ele responderá: meu filho é único! Não se parece nem com o irmão! E não estamos falando só da aparência!
E por que algumas instituições de Educação Infantil tendem a tratar suas crianças como iguais, padronizadas?

Pergunte para um pai se seu filho é igual a outra criança! Prontamente ele responderá: meu filho é único! Não se parece nem com o irmão!
E não estamos falando só da aparência!
E por que algumas instituições de Educação Infantil tendem a tratar suas crianças como iguais, padronizadas?
 

Criança: um indivíduo

Percebemos que temos uma tendência de atividades propostas tão fechadas e amarradas que esperamos que a nossa turma se comporte de forma homogênea. Alias, prevemos isso. Aí, como diz a educadora Rosa Batista, se espera que a criança comporte-se como aluno: aluno obediente, aluno ordeiro, aluno disciplinado, entre outras. Continue lendo “Que tal pensar em propostas flexíveis?”

Falta de uso do corpo e os problemas de ansiedade

O psicomotricista Anderson Mariano afirma em reportagem da Revista Veja São Paulo que a hiperatividade viria da falta de uso corpo.

foto veja sp maio 2014 2Uma reportagem interessante e alarmante da Revista Veja São Paulo desta semana aborda a questão do número cada vez maior de crianças atendidas por psicólogos ou diagnosticadas com problemas da mente. Um deles é a hiperatividade ou transtorno do déficit de atenção (TDAH). Crianças com os sintomas da doença têm dificuldades em se concentrar e acompanhar o ritmo da turma. Continue lendo “Falta de uso do corpo e os problemas de ansiedade”

História – A menina e o sapo

Uma historia/poema simples e linda de Márcia Paganini Cavéquia, publicada no site da Revista Escola, que indicamos para crianças a partir de 1 ano.

Uma historia/poema A menina e o sapo, simples e linda de Márcia Paganini Cavéquia, publicada no site da Revista Escolaque indicamos para crianças a partir de 1 ano, com possibilidade de trabalhar aprendizagem dos movimentos. Veja como no nosso post Aprendizagem dos movimentos

imagem a menina e o sapoNina, menina airosa, formosa como ela só. 
Bonito era ver Nina correr. 
Ora corria rápido, feito tufão, ora devagar, parecendo brisa.  Continue lendo “História – A menina e o sapo”

Aprendizagem dos movimentos

Deslocar-se é assunto sério! Movimentos são linguagem expressiva e recurso de brincadeira. Leia nossa sugestão para trabalhar a aprendizagem dos movimentos.

atividade movimento 2

Aprendizagem dos movimentos numa viagem de faz-de-conta

Deslocar-se nos espaços é um assunto sério! Movimentos são linguagem expressiva e recurso de brincadeira. E não se trata somente de mover o corpo. Os movimentos constituem-se numa linguagem que comunica. O crescimento físico e a aquisição das habilidades motoras marcam a primeira infância e são favorecidas quando a criança participa de atividades motoras desafiadoras e lúdicas.

Continue lendo “Aprendizagem dos movimentos”

Referenciais para formação e os campos de experiências da criança

Em nosso país, instituições ligadas à prefeitura de São Paulo, o documento – Orientações curriculares: expectativas de aprendizagens e orientações didáticas da Secretaria Municipal de Educação – (2007), indica como podem ser promovidas as aprendizagens na educação infantil, ele organiza os conteúdos em campos de experiências, isto é, as diferentes linguagens que indicam o que o professor deve procurar atingir com seus objetivos ao planejar as atividades.

campos de experiências criancas pintando, atividades ludicas O que as crianças fazem?

Quem ainda não viu uma criança pequena engatinhar em busca de uma bola ou de um brinquedo que está mais distante? Ou quando fica olhando um móbile e se alegra ao vê-lo mexer, ainda sem saber que foi sua mão que bateu nele? E aquela que descobre que é capaz de subir numa cadeira? A criança vê, ouve, cheira, pega, toca, experimenta, morde, suga, cospe, amassa, joga, derruba, brinca, desenha, canta, levanta, senta, anda, corre, sobe… E gosta ou não gosta das coisas. E chora. E ri… A criança possui muitas formas de ação e essas são algumas das que passa a fazer quando interage com o ambiente, outras crianças e adultos. Continue lendo “Referenciais para formação e os campos de experiências da criança”

Brincar com tablets e celulares é aprendizado para crianças pequenas?

As informações que chegam até as crianças são apropriadas? Qual a faixa etária para exposição dos pequenos à tecnologia de tablets e celulares?

Matéria no Estado de S. Paulo acesso das criancas à tablets e celulares
Matéria no Estado de S. Paulo

Um artigo no jornal Estado de São Paulo de hoje faz pensar que esses “brinquedos” não são indicados para crianças até 2 anos. E para as mais velhas, a brincadeira não deve passar de 2 horas por dia.

Quando pensamos em internet e tecnologia, logo ficamos alerta com relação aos conteúdos, com os assuntos e informações que chegam até as crianças: será que são apropriados? São adequados à faixa etária? Mas além dessa questão, a Academia Americana de Pediatria está de olho na própria exposição dos pequenos à tecnologia e recomenda que até 2 anos elas não utilizem computadores, tablets e celulares. Continue lendo “Brincar com tablets e celulares é aprendizado para crianças pequenas?”