Arte: cor, luz e transparência

Cor, luz e transparência são fenômenos sentidos até por bebês. Também são elementos trabalhados nas artes visuais. Mas o que isso tem a ver com a creche?

Cor, luz e transparência são fenômenos físicos perceptíveis até por bebês jovens. Há muitos anos esses elementos são trabalhados pelas artes visuais e, de forma mais ampla, pela Arte Contemporânea. Mas o que isso tem a ver com a creche?

Um novo museu em Shangai, na China, foi construído para as crianças experimentarem – na descrição do museu está o termo “experimentar” e não “conhecer” – as cores, luzes, transparências e a história do vidro. O Museu do Vidro para Crianças, ou The Kids Museum of Glass, é um museu interativo, planejado para experiências educativas, onde as crianças podem interagir com instalações multimídia, desenhar, percorrer ambientes criativos, conhecer as propriedades dos vidros e até associar sons e cores.

Museu de Vidro para Crianças

Museu de Vidro para Crianças 1Experimentar e ser atravessado pelas sensações que os fenômenos físicos, as artes e as emoções proporcionam, constrói aprendizados e desenvolve as linguagens expressivas.

Não é à toa que a China investiu milhões para ampliar as experiências sensoriais de suas crianças! O repertório dessas experiências nunca é suficiente, pois os pequenos sempre se beneficiam com descobertas ao entrar de corpo inteiro em experiências cuidadas esteticamente. Continue lendo “Arte: cor, luz e transparência”

Como dizer NÃO para crianças pequenas?

Como dizer NÃO para crianças que nasceram para explorar? Como trabalhar limites com bebês e crianças pequenas?

Crianças nasceram com o gene da exploração! São pesquisadoras natas do mundo que as cerca e, aos poucos, vão tendo suas fronteiras ampliadas. No fuça, mexe, remexe, segura, transporta, tira e põe, os adultos ficam ansiosos, receosos pela segurança e não sabem como agir para estabelecer limites: não dá para abrir os armários da sala e tirar tudo de dentro, lidando com grupos de 18 crianças! Brincar de abrir e bater portas pode machucar!
O que fazer para interromper algumas dessas “investigações”? Como trabalhar os limites nessas situações?

PESQUISAS PERIGOSAS DE CRIANÇA

A casa, os ambientes da creche e, em especial, a sala, são o mundo das crianças. Isso significa que esses universos precisam ser explorados para serem totalmente reconhecidos. Paralelamente, controlar o ímpeto de pesquisa não é fácil e nem natural nessa faixa etária. Os impulsos ainda não conseguem ser freados pelos pequenos e, apesar dos alertas dos adultos capturarem a atenção, em poucos minutos eles estão de volta às portas, gavetas e armários!

O que fazer? Continue lendo “Como dizer NÃO para crianças pequenas?”

Experiência de leitor: uma aventura com macarrão

Experiência prática: acompanhe a atividade do berçário da Creche Fraterno com macarrão, conheça o planejamento da proposta e alguns registros dessa aventura de crianças e professores.

Já imaginou poder mexer no prato de macarrão, brincar com as massas e ainda colocar “molhos” de cores diferentes? Essa foi a proposta de atividade da Creche Fraterno, SBC, SP, para um dia de sol luminoso, com crianças de 18 meses.

Fraterno 6A leitora Rosangela L. Gonçalves, coordenadora da Fraterno, nos convidou para conhecer a página da creche no Facebook. Exploramos os registros publicados e descobrimos imagens de bebês de fralda brincando com macarrões de todas as formas e cores. Então pedimos para a equipe para compartilhar essa brincadeira esperta!

As professoras trabalharam a mesma atividade no semestre anterior com as crianças mais jovens. Com o desenvolvimento das capacidades e o amadurecimento da turma, a professora Michelle C. B. Ogêda percebeu que poderia apresentar os materiais novamente e favorecer novas oportunidades de pesquisa mais ampliada.

Nas primeiras fotos dos registros vemos o cuidado na organização do material e no aproveitamento da extensão do espaço para favorecer a movimentação das crianças. Continue lendo “Experiência de leitor: uma aventura com macarrão”

Afinal, o que é Documentação Pedagógica?

A Documentação Pedagógica é diversificada. Ela depende do foco e dos seus públicos. Como assim?

documentação pedagógica do professor 2“Documentação Pedagógica” é diversificada, apesar de não se falar dela no plural!
Não tem norma e nem regra para a sua elaboração, porém o FOCO é o seu guia:
»Foco número 1: tornar visível e evidente as aprendizagens
»Foco número 2: a quem ela se destina (para quem será elaborada)
E ponto final! Mistério resolvido!

Será…?
Vamos clarear um pouco mais esses focos.

balão laranjaFoco 1: TORNAR AS APRENDIZAGENS EVIDENTES

A Documentação Pedagógica é a elaboração das informações levantadas com o REGISTRO. Anotações, fotos, filmes, gravações e produções das crianças são reunidas para provocar e instigar o educador: Continue lendo “Afinal, o que é Documentação Pedagógica?”

O que dizer sobre o “Projeto Natureza”?

Natureza não é projeto, é conteúdo pedagógico de desenvolvimento infantil. Como trabalhar essa questão?

pés na terraNatureza não é tema de projeto! É um conteúdo pedagógico tão fundamental ao desenvolvimento das crianças quanto o desenho, a leitura e outros. Natureza: sol, ar puro, plantas e animais… Este contato é importante para a formação dos pequenos tanto do ponto de vista biológico-físico como para a saúde mental.

(…) não temos a pretensão de fixar prematuramente as formas de uma vida escolar em que a grande lei pedagógica é o dinamismo. (Celéstine Freinet)

Os ambientes naturais, cada vez mais escassos, são os responsáveis pela nossa existência. As crianças precisam se desenvolver neles para compreenderem que não é possível viver com qualidade na sua falta ou degradação. Continue lendo “O que dizer sobre o “Projeto Natureza”?”

Arte e Cultura

Yanomami 3Nesta seção reunimos as abas:
→Repertório Cultural
→Linguagens expressivas
→Manifestações Culturais

Espaço dedicado à expressividade da criança e à experimentação das linguagens da Arte: música, dança e expressão corporal, jogos simbólicos e dramatização e artes visuais. Para desenvolver um trabalho enriquecido o professor precisa ampliar seu repertório e, para isso, promovemos um passeio pelas manifestações culturais regionais brasileiras e estrangeiras, valorizando as raízes culturais na construção da identidade da criança. 

Palavra de…

dc7jqAeqiNesta seção reunimos as abas:
→Palavra de… especialista
→Palavra da… prática

TEMPO DE CRECHE abre um espaço para enriquecer a discussão a respeito da Educação Infantil com a voz de especialistas e suas pesquisas e descobertas. A voz da prática também está presente para compartilhar experiências e apresentar questionamentos: ela contextualiza, ensina, amplia e revela saberes.

Educador

brincadeira com areiaNesta seção reunimos as abas:
→  Planejamento e Proposta de Atividade
→  Tempo, Espaço e Materiais
→  Postura do Professor

Este espaço do TEMPO DE CRECHE se dedica a compartilhar ideias e pesquisas do fazer pedagógico na Educação Infantil: o professor que pesquisa recursos, planeja, acolhe e amplia os interesses das crianças com propostas lúdicas e criativas.

 

Criança

campo de experiencias corpo peqNesta seção reunimos as abas:
→  Brincar e Aprender
→  Desenvolvimento Infantil
→  Campos de Experiências
→  Criança e Natureza

Os conteúdos se dedicam a pensar a criança, o desenvolvimento infantil e a aprendizagem por meio de experiências ancorados no brincar, na subjetividade e nas relações.
As experiências infantis são apresentadas de acordo com os seguintes campos, apesar de acontecerem de forma integrada:

  • Habilidades do corpo
  • Habilidades sociais, autonomia e identidade
  • Oralidade e Letramento
  • Expressões (Musical, Dança, Artes Visuais)
  • Jogo simbólico e Faz de Conta
  • Conhecimento de Mundo
  • Conhecimento Espacial e Matemático
  • Brincar e a Natureza

Escola da Floresta: crianças, Natureza e aprendizagem

Escola da Floresta é a abordagem pedagógica que contaminou mais rapidamente os profissionais da Educação mundo afora. Porque a Natureza tem muito a ensinar.

crianças na escola da florestaEscola da Floresta é a abordagem pedagógica que contaminou mais rapidamente os profissionais da Educação mundo afora. Ela nos tira do conforto e faz pensar. Essa proposta metodológica tem muito a ensinar. Nós, educadores, temos muito a aprender com a Natureza como recurso pedagógico.

Já parou para pensar o que as crianças veem de tão interessante numa folhinha caída?
E aquelas pequenas flores amassadas que recolhem pelo caminho e guardam como tesouros?
E a atração poderosa que as árvores com galhos sobressalentes exercem nos pequenos, levando-os a subir, trepar, se pendurar e descer? Continue lendo “Escola da Floresta: crianças, Natureza e aprendizagem”