9 dicas especiais para contar histórias

Contar histórias para crianças é muito importante. Mas é preciso ser profissional ou ter dom? Veja 9 dicas especiais para contar histórias para os pequenos.

Contar histórias para crianças é tão importante para a sua formação que diversas pesquisas apontam para resultados surpreendentes dessa prática. Nos Estados Unidos pediatras passaram a receitar a narração de histórias e poesias até para bebês no útero! Professores precisam trabalhar o mergulho na magia das histórias com suas crianças.
Mas é preciso ser profissional ou ter esse dom?

roda de histórias

Contar histórias é uma das artes da palavra.

Muitos contadores usam a própria experiência e intuição para transmitir o que viveram. Outros buscam aprendizados para desenvolver sua arte. Leem muito, estudam a língua e, às vezes aprofundam-se nas técnicas de representação. Os atores que encenam histórias, o fazem com um texto formatado, independente do tipo de plateia presente. Já o contador precisa levar em conta a presença e a personalidade de sua audiência.

Apesar da carência na formação de alguns professores, podemos seguir alguns conselhos preciosos dos especialistas desse oficio, exercitar e desenvolver um jeito prazeroso e nosso de proporcionar vivências tão fundamentais para o universo infantil. Continue lendo “9 dicas especiais para contar histórias”

Projetos e temas: um convite à aventura

Como definir e encaminhar temas e projetos? A consulta de uma professora de São Paulo nos fez refletir…

Nossa leitora Cristina Amorim, professora de SP, pediu uma dica para trabalhar a cultura do Ceará com sua turma (faixa etária: 4 anos), que será seu próximo projeto.

Gostaria de saber se vocês tem alguma dica sobre a cultura do Ceará pois esse será meu próximo projeto com meus pequenos, não posso fazer feio. Vale tudo, a comida, a dança, o povo qualquer coisa que desperte neles o prazer em conhecer esse lugar lindo!

 

Jangadas

Essa solicitação levantou a questão da definição e do encaminhamento de temas de projetos: a forma como o professor pensou no tema, os conteúdos envolvidos e uma abordagem compatível com a faixa etária e a concepção de infância.

O aprendizado na primeira infância está associado às vivências e às experiências sentidas. Sim: SENTIDAS! Porque criança não aprende só com a cabeça, ela se envolve por inteiro: corpo + sensações + emoções + intelecto.

Para aprender a criança precisa se entregar de corpo E alma. Então, aquilo que é proposto deve fazer sentido, ser interessante e sensibilizar A CRIANÇA. Do contrário, não acontece a entrega. Continue lendo “Projetos e temas: um convite à aventura”

Território do Brincar – num filme de brincadeiras, dicas para brincar com os olhos e o coração!

No filme Território do Brincar possibilidades para trabalhar formação e dicas de 3 brinquedos tradicionais incríveis para os pequenos!

Filme Território do BrincarNa abertura da mostra de cinema com foco na infância, Ciranda de Filmes 2015, pudemos conhecer o Território do Brincar de Renata Meirelles e David Reeks. Uma poesia cinematográfica que atiça os diversos sentidos dos entusiastas da infância. Com fotografia precisa e encantadora, os olhos se enchem de beleza. A edição sensível conversa com a nossa memória e a trilha sonora sedutora do Grupo Uakti embala uma viagem para outros mundos e para o nosso próprio.

O filme vale ser visto e discutido em encontros de educadores e numa conversa de colegas no final de semana.

Entre as dezenas de brincadeiras mostradas pelas crianças filmadas por todo o Brasil, pudemos destacar três adequadas e desafiadoras para o universo da Educação Infantil. Continue lendo “Território do Brincar – num filme de brincadeiras, dicas para brincar com os olhos e o coração!”

Patrícia Durães fala da importância do cinema na formação

A diretora do Grupo Espaço de Cinema e uma das curadoras do Ciranda de Filmes, Patrícia Durães reconhece nos filmes  uma experiência que sensibiliza, mobiliza e transforma. Em seu convívio com educadores tem a certeza de que a proposta de um mergulho cultural através do cinema é de uma força e riqueza infinita.  Patrícia contou um pouco desta experiência para o Tempo de Creche.

patriciaTempo de Creche – Qual a importância do cinema para a vida do professor?

Patrícia – A experiência cinematográfica provoca o pensar e desenvolve uma competência para ver e ler o mundo. O cinema é uma expressão artística e como arte, encanta, sensibiliza, mobiliza e  transforma. O filme por si só lança o espectador dentro de realidades complexas, dramáticas, poéticas e o faz retornar modificado, com um novo olhar para a sua própria realidade. A arte, o lúdico e o conhecimento estão sempre juntos, é aí que está a força na relação cinema e educação.

Continue lendo “Patrícia Durães fala da importância do cinema na formação”

O universo infantil em filmes

Acontece entre os dias 21 e 24 de maio, a 2ª Ciranda de Filmes tendo com fio condutor: famílias, relação criança e natureza e protagonismo infantil.

Acontece entre os dias 21 e 24 de maio, em São Paulo, a 2ª edição do Ciranda de Filmes. Além de exibir gratuitamente produções cinematográficas do universo infantil, nacionais e estrangeiras, o evento patrocinado pelo Instituto Península e pelo Instituto Alana, promoverá rodas de conversa, vivências lúdicas e oficinas cinematográficas, em um espaço de troca de conhecimento e aprendizado coletivo que tem como ponto de partida a linguagem do cinema. Toda a programação desse ano tem três temas como fio condutor: famílias, relação criança e natureza e protagonismo infantil.

Filmes

Para a edição 2015, entre os 50 filmes selecionados, estão:

Ciranda de filme 1

Neste ano, a Ciranda irá homenagear alguns mestres brasileiros fundamentais para o enriquecimento cultural do país que faleceram em 2014, apresentando: Continue lendo “O universo infantil em filmes”

Brincando com as culturas indígenas

Pensando nas crianças da Educação Infantil, como selecionar conteúdos que sejam significativos e provoquem o interesse e o conhecimento em relação as culturas indígenas? Como brincar com estas ideias e outros modos de ver o mundo?

Estamos em abril e no dia 19 deste mês comemora-se o Dia do Índio.

Por quê?                   Para que?                       Como?                         Quando?

Podemos pensar um pouco mais no que esta data e a cultura indígena representam.

Yanomami 6

*Curumim: palavra de origem tupi que significa criança. 

seta horizontal

Que tipo de informação queremos transmitir para as crianças? O que elas entendem?

seta horizontalO que sabemos sobre essas pessoas que vivem neste mesmo lugar, que chamamos de Brasil?

seta horizontalComo é o indígena brasileiro? Quais são suas crenças?  Como é sua cultura? Como brincam?

Estas são algumas das perguntas que nos fazemos sempre que o Dia do Índio se aproxima. Hoje, o que sabemos deles é o que a televisão nos conta e muitas vezes o foco das matérias não são as crenças e as culturas indígenas. Algumas regiões, pela proximidade com as aldeias, possuem um contato e uma convivência maior. Continue lendo “Brincando com as culturas indígenas”

Vamos conhecer e brincar com a música indígena brasileira?

As pesquisadoras e musicistas, Magda Pucci e Berenice de Almeida, fizeram uma expedição sonora em oito comunidades indígenas brasileiras. No livro A Floresta Canta! – Uma expedição sonora por terras indígenas do Brasil publicado pela Editora Peirópolis, elas contam a partir dos registros em seus diários, as tradições culturais destas comunidades e a linguagem utilizada para transformar elementos da natureza música.

As pesquisadoras e musicistas, Magda Pucci e Berenice de Almeida, fizeram uma expedição sonora em oito comunidades indígenas brasileiras. No livro A Floresta Canta! – Uma expedição sonora por terras indígenas do Brasil publicado pela Editora Peirópolis, elas contam a partir dos registros em seus diários, as tradições culturais destas comunidades e a linguagem utilizada para transformar elementos da natureza música.

instrumento 3Muitas dos hábitos, palavra e alimentos que hoje fazem parte do dia a dia de todos nós tem sua origem nas culturas indígenas.

  • Por que tomamos banho diariamente? Os portugueses quando chegaram ao Brasil não tinham o habito do banho diário, os indígenas tinham. 
  • Por que gostamos de nos deitar em redes? Podem imaginar?
  • O que quer dizer carioca? 
Cari = dos carijós, homem branco
Oca = casa, morada
Cari + Oca = Carioca

No livro tem outras palavras, nomes de alimentos, locais e hábitos que tem sua origem nas raízes indígenas. Continue lendo “Vamos conhecer e brincar com a música indígena brasileira?”

“É preciso olhar o mundo com olhos de criança”. Henri Matisse

O Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca de São Paulo inaugurou no último domingo, 25/01/15, um novo espaço voltado para ações educativas. Estudado e construído com um olhar multiuso, o Espaço NAE possibilita atividades poéticas do educativo do museu com o público em geral, inclusive o infantil e também encontra/se voltado para a formação de educadores.

Logo do Espaço NAEO Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca de São Paulo inaugurou no último domingo, 25/01/15, um novo espaço voltado para ações educativas.  Estudado e construído com um olhar multiuso, o Espaço NAE possibilita atividades poéticas do educativo do museu com o público em geral, inclusive o infantil e também encontra/se voltado para a formação de educadores. A inauguração do Espaço NAE contou com a participação de Luiz Guilherme Vergara, educador, curador e atualmente diretor do Museu de Arte Contemporânea de Niterói e dos conectores platônicos: artistas educadores do MAC que desenvolveram atividades de reflexão sobre as possibilidades educativas dos espaços culturais.

Vergara com paralepipidoDurante o encontro, Vergara abordou o desafio do trabalho dos educadores diante dos movimentos de sentir para perceber, correlacionando o mundo das ideias e possibilidades à necessidade do momento. Ao trabalhar com um paralelepipedo, ele propos aos participantes sentirem as “mil palavras contidas nesta pedra filosofal”. Esta proposta nos incentiva a pensar como em cada objeto existem múltiplos significados e como cada palavra pode nos levar a mil pensamentos. Esta multiplicidade de sentidos se dá para cada um de nós, mas também em somatória, ou seja, para todos nós! Assim proporciona um exercício de construção coletiva de sentidos. Continue lendo ““É preciso olhar o mundo com olhos de criança”. Henri Matisse”

Datas Comemorativas: muito além das festas!

Datas Comemorativas: cada um tem seu ponto de vista. Mas alguém pensa no ponto de vista da criança?

DATAS COMEMORATIVAS: todo início do ano, na reunião de Planejamento e elaboração de Calendário, esse assunto é tema de debate.

Datas comemorativas

Cada integrante da equipe pedagógica tem sua bagagem cultural e uma forma de ver essa questão:

Festa Junina é básico! Tem festa que pode captar recursos, tem oportunidade para realizar “apresentações” para as famílias e tem motivo de sobra para desenvolver projetos de decoração.

Ah, mas o Dia do Índio também é importante para trabalhar a cultura brasileira… e as crianças podem ficar tão lindas com cocares, pinturas no rosto e adereços!

E o Halloween? Tão difundido nos centros urbanos brasileiros! Rende tanta decoração, brincadeira de terror!

Os motivos para defender cada situação não faltam. Os educadores podem encher folhas de projetos com propostas interessantes.

Balão Dúvida pMas quem pensou essa questão do o ponto de vista da criança pequena?

O que significa para ela uma festa de bruxa que tem que ser comemorada no dia 31 de outubro?

Continue lendo “Datas Comemorativas: muito além das festas!”

Um livro, um aviãozinho e muita imaginação

Com o filme Aventuras do Aviãozinho Vermelho ir ao cinema é diferente! A animação baseada na obra de Érico Veríssimo foi feita artesanalmente, como uma obra de arte.

Fernandinho, um menino de 8 anos, ganha do pai um aviãozinho e um livro de sua infância. Encantado com a história, Fernandinho decide que quer ser aviador. Junto com seus brinquedos favoritos, Ursinho e Chocolate, que ganham vida com a imaginação, Fernandinho visita lugares inusitados, como a Lua e o fundo do mar, e percorre diferentes territórios – África, China, Índia, Rússia. 

As aventuras do avião vermelho

Ir hoje ao cinema para ver uma animação é colocar óculos 3D e esperar que explosões, carros e outras parafernálias saltem da tela.

Com o filme Aventuras do aviãozinho vermelho é diferente!

viagemFrederico Pinto, diretor de cinema, se propôs fazer um filme infantil sem os recursos 3D e mostrar que é possível contar histórias com outras técnicas. Com a história Aviãozinho Vermelho do escritor Érico Veríssimo na mão e a ideia de ficar o mais próximo dos desenhos feitos para a obra, nasceu o filme que estréia hoje dia 11 de dezembro.

Frederico conta que a animação foi feita à moda antiga: com lápis e papel (e não apenas com computadores, como é costume atualmente). Cada segundo de filme é composto por 12 desenhos, que depois são colocados em sequência para dar a ideia de movimento. No fim, mais de 50 mil ilustrações foram feitas para a produção! Continue lendo “Um livro, um aviãozinho e muita imaginação”