Referenciais para formação e os campos de experiências da criança

Em nosso país, instituições ligadas à prefeitura de São Paulo, o documento – Orientações curriculares: expectativas de aprendizagens e orientações didáticas da Secretaria Municipal de Educação – (2007), indica como podem ser promovidas as aprendizagens na educação infantil, ele organiza os conteúdos em campos de experiências, isto é, as diferentes linguagens que indicam o que o professor deve procurar atingir com seus objetivos ao planejar as atividades.

campos de experiências criancas pintando, atividades ludicas O que as crianças fazem?

Quem ainda não viu uma criança pequena engatinhar em busca de uma bola ou de um brinquedo que está mais distante? Ou quando fica olhando um móbile e se alegra ao vê-lo mexer, ainda sem saber que foi sua mão que bateu nele? E aquela que descobre que é capaz de subir numa cadeira? A criança vê, ouve, cheira, pega, toca, experimenta, morde, suga, cospe, amassa, joga, derruba, brinca, desenha, canta, levanta, senta, anda, corre, sobe… E gosta ou não gosta das coisas. E chora. E ri… A criança possui muitas formas de ação e essas são algumas das que passa a fazer quando interage com o ambiente, outras crianças e adultos. Continue lendo “Referenciais para formação e os campos de experiências da criança”

Diretrizes, Referenciais, Indicadores, Parâmetros: obstáculos ou aliados?

Este espaço do Tempo de Creche vai ajudá-lo a conhecer e compreender as diretrizes, os referenciais, os indicadores e os parâmetros para creches em todo o país. Para facilitar a conversa, vamos abordá-los em trechos, assim, ao descobrir, pensar e entender estes conteúdos, eles se tornarão aliados do seu dia a dia.

Documentos de referências para creches

Você conhece esses documentos?

Nessa primeira conversa vamos introduzir as Diretrizes, os Referenciais, os Indicadores e os Parâmetros e os objetivos de cada um. Continue lendo “Diretrizes, Referenciais, Indicadores, Parâmetros: obstáculos ou aliados?”

Festa Junina: oportunidade para trabalhar com a equipe de educadores

Neste post propomos uma conversa sobre como transformar as comemorações tradicionais em oportunidades de reflexão e trabalho com a equipe.

Neste post propomos uma conversa sobre como transformar as comemorações tradicionais, como a Festa Junina, em oportunidade para trabalhar e refletir com a equipe de educadores.

Criatividade e unicidade na festa Junina

Para começar com algumas reflexões…

Como uma obrigatoriedade (em participar ou promover as comemorações) pode contribuir para a reunião pedagógica e ser um momento de construção e trocas entre você e seus educadores? Continue lendo “Festa Junina: oportunidade para trabalhar com a equipe de educadores”