Experiência: rola, enrola e pinta!

Uma proposta divertida. Muita experiência e aprendizagem para conquistar: pintura com rolinhos e plástico bolha. Conheça essa sugestão!

pintura com rolos e plástico bolhaCom as crianças voltando das férias, o gás para aventuras e novas pesquisas está renovado. E dá-lhe buscar inspiração para acompanhar a turma. Pesquisamos uma técnica interessante para pintar, provocar e trabalhar a criatividade e a motricidade.

Rolinhos de Plástico Bolha

Rolar, enrolar, girar e torcer: uma categoria de movimentos divertidos que as crianças pequenas gostam de fazer. Uma pista para o professor mediar e ampliar.

I – A dica é começar a trabalhar o corpo todo e depois passar para as mãos. Pesquise e selecione uma música provocante – se tiver na letra uma referência aos movimentos de enrolar e girar, melhor! Apresente para os pequenos e mergulhe na dança. Gire o corpo, deite no chão e role, use os braços para fazer movimentos circulares e, sem falar, convide os pequenos a se inspirarem nos seus movimentos. Crianças começam a aprender imitando. Continue lendo “Experiência: rola, enrola e pinta!”

O que precisamos dar para as crianças brincarem?

O que as crianças pequenas precisam para brincar? Vamos conhecer algumas experiências com brinquedos não estruturados?

Muito se fala sobre as crianças e seus aprendizados.  Dispomos de pesquisas e indicações sobre materiais para brincar que aguçam o interesse das crianças…

Balão-Dúvida-pO que as crianças pequenas precisam para brincar?

Em artigos recentes, os temas brincadeiras e brinquedos trouxeram à tona questões que continuam na pauta das polêmicas a respeito da infância.

Uma dessas notícias comenta a experiência de um Jardim de Infância da Noruega*, um país com indicadores altos de qualidade de educação. Com a retirada de brinquedos estruturados (aqueles comprados prontos!) da escola, as crianças passaram a usar nas salas caixotes, tecidos, almofadas, mesas e cadeiras, e,  nos pátios, somente os aparelhos do playground e a natureza.

E qual foi a reação das crianças?

Além de não reclamarem a falta dos brinquedos prontos e estruturados retirados, as crianças usaram mais a imaginação, transformaram os materiais disponíveis, as brincadeiras duraram mais tempo e surgiram muito menos conflitos, pois as crianças estavam desafiadas, ninguém era dono de nada e tudo estava na fantasia!

C’est Pas du JeuO documentário C’est Pas du Jeu (Não é brincadeira) apresentado na primeira edição do Ciranda de Filmes (festival de cinema dirigido à infância, aprendizagem e transformação), mostrava períodos de recreio num pátio de uma pré-escola francesa, onde 100 crianças, de 3 a 5 anos,  brincavam num espaço livre. Muito livre! Só eram visíveis alguns bancos, poucas árvores, um brinquedão, paredes com pinturas e mosaicos, as janelas e portas do prédio antigo. Os momentos filmados capturaram seis meses do período letivo, percebidos por conta da mudança de roupa das crianças. Em uma ou outra ocasião, as crianças brincavam com uma bola. E só! Sem sofisticação, sem casinhas de boneca rebuscadas, sem quadras, sem trilha sonora, sem efeitos especiais, sem enfocar a intervenção dos adultos. Continue lendo “O que precisamos dar para as crianças brincarem?”