Tempo de creche presenteia com duas formações!

Para comemorar a marca de 1 milhão de acessos, Tempo de Creche quer encontrar leitores de duas instituições de perto. Para isso oferece gratuitamente duas formações.

Para comemorar a marca de 1 milhão de acessos, Tempo de Creche quer encontrar leitores de duas instituições de perto. Para isso oferece gratuitamente duas formações.

Promoção 1 milhão segunda semana

 

São duas opções de formação:

Balão numero 1Registrar, refletir, documentar e planejar: um círculo virtuoso


Balão numero 2Curadoria educativa: o que queremos contar para as crianças, as famílias e nossos colegas de equipe?

⊗ Instruções para concorrer:

Para se cadastrar no Tempo de Creche1- Basta cadastrar 10 pessoas da sua instituição na página inicial do Tempo de Creche (é gratuito!).
Para cadastrar os e-mails, utilize o campo na lateral direita do blog, no topo da página.
ATENÇÃO: depois de cadastrar o e-mail, o blog enviará uma mensagem de confirmação para o endereço cadastrado. Somente depois de confirmar o cadastramento na mensagem recebida é que o cadastro será efetivado. Lembre suas colegas inscritas para abrirem seus e-mails e confirmarem o cadastro! 
2- Enviar até às 22h do dia 29/06/2016 a relação de e-mails cadastrados, a opção de formação escolhida e os dados da instituição e do responsável para tempodecreche@gmail.com
3- Aguardar o sorteio no dia 30/06, realizado na presença de um comitê.
4- A divulgação acontecerá no dia 1o/07, torça e se prepare para acertar os detalhes com a equipe Tempo de Creche!

⊗ Requisitos para participar:

Essa promoção é válida para instituições de Educação Infantil num raio de 60 km a partir da Praça da Sé, centro de São Paulo.
Para outras localidades, a gratuidade da promoção se restringe às ações formativas. Os custos de deslocamento/hospedagem deverão ser pagos pela instituição vencedora.

⊗ Estrutura das formações

Serão oferecidos:
 Um workshop de 3 horas, para 36 pessoas, no máximo. Sugerimos uma data que coincida com a parada pedagógica.
mais…
→ Duas ações em serviço, complementares ao conteúdo desenvolvido no workshop, com 2 horas de duração cada. Com o  objetivo de acompanhar até 4 turmas e refletir sobre as aplicações práticas.

Promoção um milhão cadastro

Palavra de … Josca Baroukh: a criança e o acesso à Arte

A professora e formadora Josca Aline Baroukh fala sobre a importância da Arte para as crianças e para formação dos professores, numa conversa animada e recheada de suas memórias da prática.

Em entrevista ao Tempo de Creche a professora Josca Ailine Baroukh fala sobre a  importância do acesso das crianças e dos professores à Arte como alimento para as múltiplas formas de expressão

Tempo de Creche – Como você vê a arte no currículo da Educação Infantil? E a Arte na formação dos professores?

Josca Se nós considerarmos que a arte se apresenta em várias linguagens e que as crianças pequenas se expressam pelas 100 linguagens, como diz Lóris Malaguzzi, o acesso a essas linguagens é fundamental para sua formação. As crianças têm direito de conhecer as várias linguagens da arte, pois elas se expressam por meio delas.

Josca 9

Se nós não ensinarmos uma criança a falar, inserindo-a em contextos de fala, ela não vai usar a linguagem verbal. Da mesma forma, se nós não ensinarmos as linguagens artísticas, ela também não vai utilizá-las para se manifestar. As crianças se expressam de muitas formas diferentes, quanto mais se oferecer a elas acesso às diversas linguagens, mais poderão se manifestar à sua maneira. É um dever do educador oferecer e promover a elas o acesso às múltiplas linguagens. Continue lendo “Palavra de … Josca Baroukh: a criança e o acesso à Arte”

Pauta do Olhar: o que o professor precisa olhar para registrar

O que o professor precisa olhar, perceber e registrar na sua prática? Conheça o que é a pauta do olhar e sugestões para fazer uma tabela de registro.

O que o professor observa? Como é esse olhar? No que ele se diferencia dos vários olhares que as crianças recebem dos pais, dos familiares, do médico e de outros educadores?

professor observadorO professor desenvolve um olhar observador da cena pedagógica: das crianças individualmente, em sua relação com o grupo e com os adultos, nas situações de aprendizagem.

Por quê?

A observação é uma ferramenta necessária para quem trabalha com educação. Por meio da observação o professor direciona seu olhar para buscar ver o que ainda é desconhecido. Por ser um olhar intencional, pensa e questiona a respeito do que vê e quer entender o que está acontecendo. Não é um olhar vago à espera de descobertas, é olhar cuidadoso, observador, olhar reflexivo. Continue lendo “Pauta do Olhar: o que o professor precisa olhar para registrar”

Formação de professores: a relação entre a teoria e a prática pedagógica é possível

Há um abismo difícil entre a teoria e as práticas pedagógicas. Esse sentimento, às vezes, pode paralisar o educador. Como resolver?

A inquietação de uma leitora nos mobilizou a buscar pensamentos e opiniões de estudiosos sobre a Formação de Professores. Ela comenta que há um abismo entre a teoria e a prática pedagógica, difícil de ser enfrentado. Esse sentimento, às vezes, pode paralisar o educador que passa a repetir apenas o que já experimentou ou conhece.

Grupo de estudos pb

Nos documentos oficiais e, geralmente, nas propostas pedagógicas das instituições de Educação Infantil, é possível analisar a visão de criança, suas capacidades e como ela aprende. Mas sabemos que as práticas educativas não são homogêneas, mesmo a partir dos avanços legais e dos estudos atuais sobre a infância. As metodologias partem de diferentes concepções teóricas sobre educação, criança, desenvolvimento cognitivo, linguagem, a cultura e a própria sociedade[1]. Destas definições deriva o papel de educador, sua capacitação e seus saberes. Continue lendo “Formação de professores: a relação entre a teoria e a prática pedagógica é possível”

O currículo integral e formação de professores na Educação Infantil

O currículo na Educação Infantil é a organização das práticas educativas: espaços, rotinas, materiais que disponibilizamos e as experiências com as linguagens verbais e não verbais que lhes serão proporcionadas e o acolhimento na instituição

Tempo de Creche conversou com Janaina Maudonnet, mestre em educação e especialista em educação em direitos humanos, sobre o currículo integral – ou holístico – e seu potencial nas descobertas da cultura e singularidade das crianças e as demandas na formação do professor na Educação Infantil.

Acervo pedagogia com a Infância

Tempo de CrecheO que é o currículo para a Educação Infantil?

JanainaAo tratarmos de currículo na Educação Infantil, estamos falando do modo de organizar as práticas educativas: os espaços, as rotinas, os materiais que disponibilizamos às crianças, as experiências com as linguagens verbais e não verbais que lhes serão proporcionadas e os modos de acolhimento na instituição.

A forma como organizamos essas práticas tem por trás ideias sobre a finalidade da educação, a maneira como os sujeitos aprendem, o que se deseja que eles aprendam, que tipo de homem queremos formar e para qual tipo de sociedade. Trata-se de uma prática complexa, que necessita de permanente reflexão por parte dos adultos que a oferecem. Continue lendo “O currículo integral e formação de professores na Educação Infantil”

Coordenador: Roteiro de ações e formação de educadores

Os desafios da ação do coordenador no cotidiano e na formação permanente de educadores. Roteiro com questões para orientar o planejamento das reuniões e das paradas pedagógicas e que gerem reflexão sobre a prática.

A ação do coordenador da Educação Infantil encontra diferentes desafios no cotidiano da formação de educadores

As solicitações emergenciais capturam o profissional que está, na maior parte de seu tempo, “apagando incêndios”, como dizem alguns profissionais, socorrendo uns e outros. Fica, então, difícil de criar uma forma de ação que estruture e garanta a qualificação da equipe e do trabalho.

Estão sozinhos nessa jornada?

Qual a saída?

Como, então, se preparar para organizar os momentos específicos de atuação da coordenação na sua função particular?

balão laranjaO que pensar?

balão laranjaO que escolher?

balão laranjaComo planejar?

balão laranjaComo acompanhar o trabalho desenvolvido?

Roteiro 1

É no grupo, acompanhado por um educador, onde, a partir de socializações de nossas reflexões, de nossos significados, entramos em contato com o pensar do outro, gestando o confronto e o conflito com este pensar. Pois sempre pensamos, refletimos, com e para o outro, a favor ou contra.         Madalena Freire

Continue lendo “Coordenador: Roteiro de ações e formação de educadores”

Crianças e professores: vamos construir relações?

Outro dia recebemos o pedido de socorro de uma professora de crianças de 2 anos que, segundo ela “nada atrai o grupo que briga e se bate”. Vamos pensar sobre o VÍNCULO na Educação Infantil?

Vínculo na Educação Infantil

Outro dia recebemos o pedido de socorro de uma professora de crianças de 2 anos que, segundo ela nada atrai o grupo que briga e se bate.

vinculo

Bom, vamos começar do começo!

Começo do ano, começo do trabalho em grupo, começo da construção do conhecimento… Período em que o educador necessita concentrar suas energias para dois focos essenciais de seu trabalho: Continue lendo “Crianças e professores: vamos construir relações?”

Referenciais para formação e os campos de experiências da criança

Em nosso país, instituições ligadas à prefeitura de São Paulo, o documento – Orientações curriculares: expectativas de aprendizagens e orientações didáticas da Secretaria Municipal de Educação – (2007), indica como podem ser promovidas as aprendizagens na educação infantil, ele organiza os conteúdos em campos de experiências, isto é, as diferentes linguagens que indicam o que o professor deve procurar atingir com seus objetivos ao planejar as atividades.

campos de experiências criancas pintando, atividades ludicas O que as crianças fazem?

Quem ainda não viu uma criança pequena engatinhar em busca de uma bola ou de um brinquedo que está mais distante? Ou quando fica olhando um móbile e se alegra ao vê-lo mexer, ainda sem saber que foi sua mão que bateu nele? E aquela que descobre que é capaz de subir numa cadeira? A criança vê, ouve, cheira, pega, toca, experimenta, morde, suga, cospe, amassa, joga, derruba, brinca, desenha, canta, levanta, senta, anda, corre, sobe… E gosta ou não gosta das coisas. E chora. E ri… A criança possui muitas formas de ação e essas são algumas das que passa a fazer quando interage com o ambiente, outras crianças e adultos. Continue lendo “Referenciais para formação e os campos de experiências da criança”