Uma proposta artística para provocar pesquisa e escuta

Pesquisa e escuta das crianças. Por quê? Conheça também uma experiência para pintar com esponjas nos pés e a Coleção Fazendo Arte, disponível para download.

Que tal a sensação de caminhar sobre esponjas macias que marcam as passadas?
É possível pintar com os pés?
O que podemos ouvir das crianças quando são provocadas e fazem suas pesquisas?

Selecionamos uma proposta da coleção Fazendo Arte do PIM – Programa Primeira Infância Melhor, do Governo do Estado do Rio Grande do Sul para pensar sobre pesquisa e escuta.

O PIM é um programa de política pública pioneiro no Brasil, desenvolvido em 2003. É uma ação de promoção do desenvolvimento integral da primeira infância que se apoia em três eixos: família, comunidade e intersetorialidade (saúde, educação, assistência social, cultura e justiça). O programa se desenvolve através de visitas domiciliares e comunitárias. Um time de visitadores capacitados visita semanalmente famílias em situação de risco e vulnerabilidade social, e constrói com elas o fortalecimento de suas competências para educar e cuidar das crianças.

Os materiais elaborados pelo grupo técnico do PIM para capacitação da equipe de visitadores estão disponíveis no site do programa e podem ser baixados gratuitamente.

Colecao-Fazendo-Arte

coleo-fazendo-arte-pim vol4 Continue lendo “Uma proposta artística para provocar pesquisa e escuta”

Base Nacional Comum Curricular: a criança como protagonista

Vamos refletir sobre mais uma questão levantada no texto provisório da Base Comum: o PROTAGONISMO da criança. Leia a matéria e responda à enquete contribuindo com a sua visão.

O texto provisório da Base Nacional Comum Curricular reforça a visão da criança como PROTAGONISTA das ações educativas das instituições de Educação Infantil.

PARTICIPAR, com protagonismo, tanto no planejamento como na realização das atividades recorrentes da vida cotidiana, na escolha das brincadeiras, dos materiais e dos ambientes, desenvolvendo linguagens e elaborando conhecimentos (BNC, p. 20 – Documento de Consulta Pública).

Esse direito é o embasamento que encaminha a forma de pensar as ações nas Creches e EMEIs. Isso significa que os planejamentos de propostas devem partir dos interesses das crianças, identificados nos registros das ações do dia a dia.

Pense bem: as propostas e atividades não devem partir das ideias “independentes” dos professores!

BNCC5

Assim, por esta compreensão da aprendizagem, a criança pequena aprende a partir de seus interesses, de sua vontade de pesquisar e dos desafios que encontra. Continue lendo “Base Nacional Comum Curricular: a criança como protagonista”

Campos de experiências todos os dias!

Quais são Campos de Experiência da criança? Como trabalhar com eles no dia a dia?

Falamos em planejar, registrar, refletir e replanejar como uma postura contemporânea de educador, que percebe as crianças e acolhe suas propostas. Mas isso é suficiente no contexto de Educação Infantil?
Não existem diretrizes a serem seguidas e conteúdos a serem ensinados?

Balão-Dúvida-p→ O que pensar?
→ Por onde começar?
→ Quem pensa sobre a criança e a infância hoje?

campo do conhecimento espacial e matemáticoPodemos partir de uma discussão baseada na Antropologia da Criança para buscar conclusões. Clarice Cohn (2005) disse que a criança produz cultura, não pelos objetos ou relatos que constrói, mas pela formulação de um sentido que dá ao mundo que a rodeia. Segundo a antropóloga, criança não sabe menos, sabe outra coisa e, assim, nós adultos precisamos entrar neste mundo respeitando a cultura que já existe. Essa postura faz toda a diferença ao pensar em “currículos” e “ensinos”, porque não é possível construir desenvolvimento sobre um território desrespeitado ou até destruído. Continue lendo “Campos de experiências todos os dias!”

Um roteiro para começar registro e planejamento – parte 2

Registro e Planejamento na Educação Infantil: é um assunto que não se esgota! O que e quem observar? Dá para ver e anotar tudo de todos? O que fazer com esses registros? Vamos pensar juntos? (PARTE 2)

Planejamento Registro e Reflexão

Na primeira parte desse post abordamos o olhar para o Registro. Pensamos num roteiro para orientar a percepção do que registrar durante o desenvolvimento das propostas:

  • perceber o grupo no coletivo
  • olhar as crianças individualmente
  • notar o aproveitamento de espaços e materiais
  • identificar as pesquisas, interesses e contribuições das crianças

Propomos o desafio de experimentar seguir o roteiro e realizar anotações sobre as atividades que o professor já tivesse planejado.  Continue lendo “Um roteiro para começar registro e planejamento – parte 2”

Planejamento da Educação Infantil: 10 reflexões para as creches

Planejamento da Educação Infantil e Projeto Político Pedagógico: 10 sugestões para discussão e incentivar os educadores a saírem do piloto automático.

Planejamento da Educação Infantil reunião e momentos

É hora de aproveitar para refletir!

As reuniões pedagógicas para elaboração do planejamento da Educação Infantil de 2015 podem incluir uma reflexão sobre as crenças da creche, partilhar e ratificar com todos da equipe os princípios repensados e assumidos pela instituição. Continue lendo “Planejamento da Educação Infantil: 10 reflexões para as creches”