Registro e Documentação Pedagógica: o diálogo com a prática

Registro e documentação pedagógica ampliam o olhar, apontam os interesses das crianças, dão pistas para novos planejamentos e revelam as aprendizagens.

Ao final de cada sequência didática ficamos com a sensação de que deveríamos ter uma plateia acompanhando as habilidades e conquistas dos nossos pequenos! Puxa vida, tem muita gente perdendo esse espetáculo da vida real! Talvez registro e documentação pedagógica sejam um caminho. Mas como dar os primeiros passos para registrar e documentar?  Ou isso tudo é simplesmente “burocracia”?

Recentemente recebemos e publicamos o relato da Keli – Uma prática de documentação pedagógica para aproximar famílias, uma professora de berçário que descreve seu percurso na elaboração de uma proposta de documentação pedagógica. Sua intensão foi fortalecer a comunicação com os pais, na medida em que na rede municipal onde trabalha a participação dos pais e da comunidade na escola é bem pequena.

Uma das muitas questões que a instigava era uma forma bacana de compartilhar com as famílias todo o trabalho que era realizado com os bebês de sua turma. E a forma de apresentação deste processo resultou em alguns boletins informativos que foram entregues aos pais e expostos no quadro da escola.

O registro deve ser considerado como um instrumento metodológico da vida pedagógica. O que implica em ampliar o olhar, captar pistas para os próximos planejamentos e não ver a ação apenas como uma obrigação ou exigência da instituição. Cada professor precisa criar uma disciplina que garanta a frequência e a elaboração das informações.

Relato 1Registro e documentação pedagógica são, dentre as atividades dos professores, temas recorrentes e de constante aprendizagem. Na postagem Um guia para a jornada do relatório individual construímos uma sugestão de roteiro para auxiliar a elaboração de relatório, focando a trajetória de cada criança, com suas singularidades e conquistas.

Mas como assegurar que ao final do período, teremos material suficiente para refletir sobre o percurso de cada criança? E como criar uma rotina para compartilhar frequentemente com equipe, famílias e crianças os processos vividos pelo grupo?

A resposta parte de perceber e experimentar os ganhos com a disciplina de fazer registro que, como já dissemos, não é burocracia, mas é parte integrante do trabalho do professor. Continue lendo “Registro e Documentação Pedagógica: o diálogo com a prática”

Lista de Postagens por Tema

Icone de Pesquisa por assuntoPara facilitar a pesquisa Tempo de Creche  reorganizou a Lista de Postagens por Tema.
Acesse e veja como ficou simples procurar os conteúdos do cotidiano da Educação Infantil.

Mas, se você sentir falta de algum assunto, não hesite em nos dizer!
Afinal, Tempo de Creche e seus leitores formam uma parceria com dois anos de conversas, apoio e trocas! 

Acabou a adaptação! Qual o caminho para o planejamento?

O momento é de refletir sobre as informações levantadas na adaptação e planejar, escolhendo estratégias e propostas que ampliem as experiências das crianças.

Acabou a adaptação. O que eu já sei? O que ainda não sei e preciso saber para trabalhar com os meus pequenos? Que tal planejar uma viagem de aprendizagens com as crianças a partir de um roteiro para refletir? 

imagem 5 crianças na creche

Passada a adaptação, muitas informações puderam ser levantadas pelo professor que:

  • acolheu crianças emocionadas e inseguras;
  • recebeu, conheceu e se relacionou com as famílias;
  • percebeu as primeiras peculiaridades da faixa etária com a qual está trabalhando (se houve mudança!)
  • no meio do turbilhão de sentimentos, observou as características mais evidentes das crianças.

Continue lendo “Acabou a adaptação! Qual o caminho para o planejamento?”

Pauta do Olhar: o que o professor precisa olhar para registrar

O que o professor precisa olhar, perceber e registrar na sua prática? Conheça o que é a pauta do olhar e sugestões para fazer uma tabela de registro.

O que o professor observa? Como é esse olhar? No que ele se diferencia dos vários olhares que as crianças recebem dos pais, dos familiares, do médico e de outros educadores?

professor observadorO professor desenvolve um olhar observador da cena pedagógica: das crianças individualmente, em sua relação com o grupo e com os adultos, nas situações de aprendizagem.

Por quê?

A observação é uma ferramenta necessária para quem trabalha com educação. Por meio da observação o professor direciona seu olhar para buscar ver o que ainda é desconhecido. Por ser um olhar intencional, pensa e questiona a respeito do que vê e quer entender o que está acontecendo. Não é um olhar vago à espera de descobertas, é olhar cuidadoso, observador, olhar reflexivo. Continue lendo “Pauta do Olhar: o que o professor precisa olhar para registrar”

Crianças pequenas entendem o que é Projeto?

Chamamos as atividades ligadas a uma temática comum de “Projeto”. Será que são mesmo projetos? As crianças compreendem esse conceito?

Temos o hábito de nomear “projeto” as atividades ligadas a uma temática comum como, por exemplo, Projeto Teatro de Sombras, Projeto das Cores, Projeto Construindo Cidades, Projeto Horta, Projeto Bumba meu boi etc.. Mas…
…será que são mesmo “projetos”?

desenho de foguete

Balão-na-PráticaRefletindo a partir da prática, vamos imaginar que um grupo de crianças se interessa pela Lua (por meio de uma história, um filme, uma conversa na roda, a Lua que se mostra no céu do dia etc.). O professor percebe, registra e planeja intervenções para ampliar descobertas:

Balão-Dúvida-pOnde fica a Lua? Perto, longe …
Como ela é? Qual a sua cor?
O que tem lá? Continue lendo “Crianças pequenas entendem o que é Projeto?”

Campos de experiências todos os dias!

Quais são Campos de Experiência da criança? Como trabalhar com eles no dia a dia?

Falamos em planejar, registrar, refletir e replanejar como uma postura contemporânea de educador, que percebe as crianças e acolhe suas propostas. Mas isso é suficiente no contexto de Educação Infantil?
Não existem diretrizes a serem seguidas e conteúdos a serem ensinados?

Balão-Dúvida-p→ O que pensar?
→ Por onde começar?
→ Quem pensa sobre a criança e a infância hoje?

campo do conhecimento espacial e matemáticoPodemos partir de uma discussão baseada na Antropologia da Criança para buscar conclusões. Clarice Cohn (2005) disse que a criança produz cultura, não pelos objetos ou relatos que constrói, mas pela formulação de um sentido que dá ao mundo que a rodeia. Segundo a antropóloga, criança não sabe menos, sabe outra coisa e, assim, nós adultos precisamos entrar neste mundo respeitando a cultura que já existe. Essa postura faz toda a diferença ao pensar em “currículos” e “ensinos”, porque não é possível construir desenvolvimento sobre um território desrespeitado ou até destruído. Continue lendo “Campos de experiências todos os dias!”

O que planejar… alguma sugestão?

Qual a fonte de inspiração para fazer bons planejamentos? Sugerimos um esquema que reúne planejamento, informações e registros para facilitar esse caminho.

Balão-Dúvida-pComo ter inspiração para planejar boas propostas, que abranjam todos os campos de experiência das crianças?
Reconhecemos a potência das crianças. Entendemos que precisamos estar à altura dos seus interesses e pesquisas. Sabemos quando “acertamos em cheio” e percebemos as propostas que envolvem os pequenos e rendem mil descobertas. Existe uma fonte inesgotável de sugestões de atividades?

Sim! Tudo se resolve quando a fonte é o que enxergamos e ouvimos das próprias crianças! É ao olhar para o que cativa e provoca descobertas que pode nos conduzir a uma jornada certeira de planejamentos, pesquisas e aprendizados. Do contrário, tudo o que planejarmos será artificial, porque partirá do nosso interesse, da nossa vontade, da nossa brincadeira.

Ao dedicar olhos e ouvidos para as crianças, e esforços para encaminhar suas sugestões, garantimos um estado de experimentação que conduz os pequenos ao desenvolvimento constante. Continue lendo “O que planejar… alguma sugestão?”

Um roteiro para começar registro e planejamento – parte 1

Registro e Planejamento na Educação Infantil: é um assunto que não se esgota! O que e quem observar? Dá para ver e anotar tudo de todos? O que fazer com esses registros? Vamos pensar juntos? (PARTE 1)

Registro e Planejamento na Educação Infantil: esse é um assunto que não se esgota!

Experimente o Olhar - Registro na Educação Infantil

A infância tem seus ritmos. Que oscilam como as fantasias de um faz de conta. Reconhecemos as potencialidades das crianças e sabemos que podemos ampliar seus repertórios culturais, contribuir com o aprofundamento de suas pesquisas e trazer para a creche muitos conteúdos e experiências…

…mas quais?

Quando? Em que momento podemos ou devemos interferir?

Qual a dimensão daquilo que podemos considerar “currículo” de trabalho na infância?

Essas perguntas já foram feitas, respondidas e refeitas. Ainda assim, a prática do dia a dia parece se impor às demandas e aos projetos inspirados nos interesses dos pequenos. Aí professores e turmas são atropelados pelos horários determinados, arrumações, limpezas de sala e uma logística de materiais que prevê antecipação.

E assim… bate aquela sensação de frustração. Porque somos cuidadores e professores! Reconhecemos que as crianças aprendem em todas as situações e momentos da rotina, mas queremos ir além e trazer mais conteúdos culturais e de interesse para a turma. Quando não conseguimos viabilizar esse tipo de trabalho nos sentimos frustrados e abatidos.

Se você acompanhou até aqui essa trajetória de pensamentos, já percorreu uma trilha de reflexões. Isso representa empenho para buscar novas formas de olhar e, consequentemente, de pensar a sua Rotina.

Num post publicado em duas partes vamos sugerir um roteiro para guiar a ação de registrar e refletir sobre as atividades que você já planejou e ainda não desenvolveu. É começar pelos REGISTROS, isso mesmo! Sem mudar nada do que você vem fazendo, por enquanto. É passar a registrar o seu dia a dia com as crianças, porque … Continue lendo “Um roteiro para começar registro e planejamento – parte 1”

Projeto Pedagógico para o próximo ano: depois de avaliar é hora de planejar o futuro! – parte 2

Depois de avaliar, é hora de trabalhar com a equipe no Projeto Pedagógico. Organizamos um roteiro para ajudar a pensar!

Na primeira parte dessa publicação (Proposta Pedagógica para o próximo ano: é hora de trabalhar em equipe!) fizemos uma proposta para pensar a Creche do ano que está por terminar como um todo: estrutura e ações realizadas. Agora é aquecer os motores para o próximo ano organizando ideias e propostas no Projeto Pedagógico.

Roteiros de projetos pedagógicos de diversos municípios brasileiros incluem tópicos comuns. Levantamos alguns deles e apresentamos sugestões para discussão e elaboração do documento da creche.

cartaz reunião elaboração do Projeto Pedagógico

Para fazer desse documento se tornar uma referência e apoiar toda a equipe, o ideal é que a construção do mesmo parta de encontros com a participação de todos. É na construção coletiva dos itens que o grupo admite o documento como seu e se compromete com suas orientações.

Para aquecer a conversa com a equipe e levantar as crenças e princípios que orientam a creche, propomos algumas questões: Continue lendo “Projeto Pedagógico para o próximo ano: depois de avaliar é hora de planejar o futuro! – parte 2”

História: Caramelo, o caramujo

Os insetos são o assunto do dia?
Colocamos uma história que pode ser narrada para os bem pequenos. Além do enredo, selecionamos imagens inspiradoras de insetos-personagens que podem ser imprimidas e ampliar a pesquisa das crianças.

história caramelo o caramujo Leia Caramelo, o caramujo*. Era uma vez um caramujo que se chamava Caramelo.
Um dia, enquanto passeava calmamente pelo campo, encontrou flores lindas e algumas borboletas voando com as asas lindas e coloridas. O caramujo Caramelo pensou como seria bom se tivesse aquelas cores tão brilhantes na sua carapaça. Continue lendo “História: Caramelo, o caramujo”